Saúde e Bem-Estar: Uma Responsabilidade Compartilhada

Saúde e Bem-Estar: Uma Responsabilidade Compartilhada

Our Thinking / Voice on Growth Economies /

Saúde e Bem-Estar: Uma Responsabilidade Compartilhada
Veja também:
Calendar05 Novembro 2018

Uma força de trabalho saudável é vital para garantir a produtividade de uma empresa, mas é responsabilidade exclusiva dos empregadores manter seus empregados saudáveis ou a responsabilidade deve ser compartilhada?

O tamanho de uma empresa obviamente influencia, pois as empresas menores têm mais dificuldade em comprometer o orçamento para garantir o bem-estar de seus empregados em comparação com as grandes multinacionais. No entanto, o orçamento é uma grande preocupação para muitas empresas quando se trata de criar pacotes de benefícios, um ponto que foi destacado no evento Employee Benefits (Benefícios aos Empregados) de 2018 por meio de uma pesquisa ao vivo com a platéia. Os participantes foram questionados: O que está impedindo você de tomar medidas em relação a iniciativas de bem-estar? O orçamento foi a principal resposta, com os profissionais de RH dizendo que estão preocupados com o ROI.

Mas isso não significa que os empregados de empresas menores sejam deixados para trás. Os planos de benefícios podem ser adaptados a mercados individuais e para fornecer exatamente o que os empregados esperam. Por exemplo, no Japão, que é bem conhecido por sua cultura de trabalho intenso, as empresas oferecem benefícios de saúde que incluem exames obrigatórios relacionados ao estresse. Em uma escala ainda menor, as empresas podem aumentar o bem-estar de seus empregados fazendo algo tão simples quanto acrescentar alimentos saudáveis à copa.

Saúde também envolve bem-estar mental. Em Cingapura, os empregados são conhecidos por perguntar sobre a política de licenças de uma empresa e se há horário flexível antes de começar um trabalho. Ambos são importantes quando se trata de ajudar os empregados a lidar com o estresse e a desfrutar de um equilíbrio saudável entre vida pessoal e profissional. Além disso, no escritório, cada vez mais empresas estão usando embaixadores de bem-estar para ajudar a transmitir suas mensagens de benefícios. Os embaixadores são escolhidos porque são apaixonados pela saúde e compartilham seus conhecimentos com os colegas.

Outra pergunta para o público no evento foi: “O que é importante para o seu processo de tomada de decisão sobre onde deve ser seu foco?” As principais respostas foram avaliar dados internos e como os pacotes se encaixarão em sua empresa.

No mundo de hoje, os programas de benefícios que usamos foram desenhados há 10 anos e muitos deles não são mais relevantes para as necessidades dos empregados. Os tempos mudaram e cabe agora aos empregadores evoluir e reimaginar maneiras de impactar as pessoas e reestruturar seus programas - mantendo a experiência do empregado no centro.

Os tópicos mencionados e muitos outros foram discutidos quando especialistas das áreas de saúde e benefícios se reuniram no evento Employee Benefits de 2018 em Cingapura para participar de um painel de discussão sobre “Saúde e Bem-Estar - Uma Responsabilidade Compartilhada”.

A discussão do painel foi moderada por Liana Attard, Líder de Consultoria da Ásia, Mercer Marsh Benefits, e contou com Fiona Chia, Fundadora da Saúde Pode Ser Diversão, Mestrado em Nutrição Humana; Gan Sow Chat, Diretor de Benefícios AP, Honeywell International; Rahul Ramaswami, Gerente Internacional de Benefícios, Standard Chartered; e Godelieve van Dooren, Líder Regional de Indústrias e Produtos, Mercer.

BAIXE O APLICATIVO

  Fale com um consultor Mercer
Estamos ansiosos para falar com você. Por favor, forneça os dados abaixo.
*Campo Obrigatório