A Guerra por Talento em Economias em Crescimento Começa com a Frequência Cardíaca de seus Empregados

Valorize a Saúde de Empregados Individuais

As economias em crescimento são tão fortes quanto as pessoas que as compõem. O sucesso de um negócio é tradicionalmente medido por lucros e perdas, aquisições de clientes, vendas mensais e outros dados que mostram onde o valor está sendo perdido ou criado. O sucesso, no entanto, é diretamente afetado pela produtividade - e saúde - dos empregados de uma empresa. Todos os funcionários contribuem para o sucesso ou fracasso de equipes, departamentos e divisões inteiras. Cada pessoa conta. As empresas devem evoluir além da tendência de tratar os empregados como uma força de trabalho coletiva de rostos anônimos e cargos, e vê-los como indivíduos com habilidades específicas, personalidades e necessidades únicas de saúde e bem-estar - tanto físicas quanto emocionais. Simplesmente armazenar salgadinhos saudáveis na copa ou dar um cartão de aniversário a um empregado não é uma iniciativa de saúde eficaz ou um impulso psicológico para a maioria dos funcionários.

As empresas em economias em crescimento ganham vantagem competitiva quando empregam trabalhadores que se sentem valorizados como indivíduos. Atender às necessidades de saúde e bem-estar de todos os empregados (e seus entes queridos) é um meio poderoso de comunicar respeito. Proporcionar aos funcionários acesso a benefícios que realmente atendam às suas necessidades e ao senso de propósito fortalecerá sua conexão, e sua gratidão, com a comunidade profissional próxima. Na verdade, essa conexão não se limita mais a empresas ou economias isoladas. Uma nova geração de forças de trabalho altamente qualificadas em economias em crescimento está alavancando acesso sem precedentes a tecnologias digitais - e conectividade - para gerar demandas por padrões mais elevados no local de trabalho. Em particular, as economias desenvolvidas estão liderando uma conversa global sobre preocupações universais dos empregados e expectativas do local de trabalho - incluindo melhores serviços de saúde e bem-estar, programas de bem-estar financeiro, oportunidades de desenvolvimento profissional e suporte educacional e práticas de gestão de risco relacionadas ao trabalho. 

As empresas se expandem regularmente para atender às crescentes demandas de clientes e consumidores, mas muitas vezes negligenciam fornecer aos empregados individuais, dentro da força de trabalho em expansão, suporte básico a um ambiente de trabalho saudável (por exemplo, estações de trabalho adequadas - cadeiras ergonômicas e de apoio, monitores adequados - os empregados precisam ser saudáveis e produtivos). Problemas como espaços de trabalho não saudáveis podem ser facilmente corrigidos com atenção individual. Os empregadores devem abordar esses detalhes críticos. O impacto negativo que os empregados não saudáveis têm sobre os níveis de produtividade, eficiência e resultados financeiros é bem documentado.2 Para os empregadores, funcionários não saudáveis representam riscos não apenas para a força de trabalho atual, mas também para contratações potenciais e possivelmente futuros líderes do negócio.

Diego Ramirez
by Diego Ramirez

Global Health Management Project Lead, Mercer

Fale com um consultor Mercer
Estamos ansiosos para falar com você. Por favor, forneça os dados abaixo.
*Campo Obrigatório