O POTENCIAL GLOBAL DAS ECONOMIAS EM CRESCIMENTO

Voice on Growth Economies

O POTENCIAL GLOBAL DAS ECONOMIAS EM CRESCIMENTO - OPORTUNIDADES E DESAFIOS FUTUROS

ARDAVAN MOBASHERI
Nova York, Estados Unidos
Ardavan Mobasheri é o princípio fundador da Corporate Economic Strategy Advisors e professor de economia, finanças e gestão.

A mudança no poder econômico do Ocidente para o Oriente e Hemisfério Sul está bem encaminhada. Mas nem todos os barcos serão levados por essa maré alta. As organizações de economias em crescimento precisarão adotar a tecnologia e a transição para uma economia de serviços, se esperam ser globalmente competitivas.

 

Embora a história econômica do século XXI ainda seja muito jovem, suas duas primeiras décadas podem ser resumidas como um período de transição na liderança econômica global. As economias centradas no Atlântico Norte, que dominaram o panorama econômico global durante a maior parte do século e meio passado, estão passando o bastão para as economias em crescimento mais rápido da Ásia, América Latina e África. Até o final da
terceira década deste século, a transição estará provavelmente completa, com as âncoras do crescimento econômico global lançadas no Pacífico e no Hemisfério Sul.

Com uma classe média cada vez maior e mais instruída, particularmente na Ásia e América Latina, o crescimento do consumo e dos investimentos das empresas nessas regiões não apenas serão o motor da atividade econômica global, mas também contribuirão para uma transição gradual para bens de consumo e serviços de alto valor agregado de empresas, tais como saúde, seguros e investimentos.

TRANSIÇÃO NA LIDERANÇA ECONÔMICA GLOBAL

Desde 2008 com o auge da crise financeira, as economias de crescimento mais rápido dominaram as novas atividades econômicas globalmente. De acordo com estimativas do Banco Mundial, a economia global adicionou US$10.655 trilhões a seu PIB durante esse período, dos quais cerca de US$ 8,28 trilhões - ou mais de 77% - vieram das economias de rápido crescimento. Desde o início do século, quase 65% de toda nova atividade ocorreu nessas economias, que, a partir do final de 2015, representam pouco mais de 42% da economia global, acima de quase 30% no final de 2000.

 

A CRESCENTE CLASSE MÉDIA

As economias centradas no Atlântico Norte beneficiaram-se muito do tamanho e do crescimento da quantidade de seus consumidores ao longo do último meio século. À medida que a transição na liderança global avança nas próximas décadas, as economias em crescimento da Ásia e da América Latina, em particular, começarão a experimentar essa força econômica estabilizadora assim que seus investimentos em infraestrutura de consumo começar a se pagar.

Em 2025, 10 das 25 maiores cidades classificadas pelo PIB estarão localizadas nas economias em crescimento. Quando medidas pelo número de indivíduos que ganham mais de US$ 20.000 por ano (um número que poderia ser considerado classe média alta até mesmo pelos padrões de custo mais alto das cidades maiores em 2025), 14 das 25 maiores cidades provavelmente serão localizadas nas economias em crescimento.

Sobre Mercer/Voice on Growth Economies

A revista Voice on Growth Economies, da Mercer, publicada no segundo trimestre de 2017, reúne idéias sobre as tendências atuais e os desafios enfrentados pelos líderes de RH e finanças em organizações da América Latina, Ásia, Oriente Médio e África. Os consultores da Mercer e especialistas do assunto oferecem insights e estudos de caso sobre como as organizações de economias emergentes podem promover a saúde, o patrimônio e a carreira de seus funcionários enquanto crescem para o futuro.

  Leia mas
Por favor, forneça os dados abaixo.
*Campo Obrigatório