Estudo da Mercer revela novas tendências de investimentos de fundos de pensão nos mercados em crescimento

 
 
Maior alocação em ações e foco em sustentabilidade e governança são destaques apontados pela pesquisa

 

 

São Paulo, 1º de junho de 2020 - A Mercer, líder global de consultoria em carreira, saúde, previdência e investimentos, apresentou hoje a pesquisa “Tendências de Alocação para Mercados em Crescimento 2020”, com informações sobre a alocação e tendências de investimento de ativos de fundos de pensão na América Latina, Oriente Médio, África e Ásia. O estudo foi realizado em 16 países, com investidores responsáveis por um patrimônio de cerca de US$ 5,2 trilhões.

 

O estudo revela que a exposição em ações cresceu de 32% em 2014 para os atuais 37%, enquanto a renda fixa vem caindo (de 57% para 49%) nos últimos seis anos.  Embora existam diferenças significativas devido a fatores regulatórios e condições de mercado de cada país, as alocações em ativos estrangeiros continuam aumentando. Como percentual das carteiras de ações, as alocações no exterior aumentaram de 42,3% para 49,0% nesse mesmo período. Os investimentos alternativos também ganharam um pouco mais de força nas carteiras, passando de 3,7% para 4,5% durante o período avaliado, tendência que deve se manter à medida que mais investidores procurarem retornos mais altos e maior diversificação.

 

Os resultados da pesquisa também indicam o aumento do foco em sustentabilidade, governança e negociação de taxas, preocupações cada vez maiores para os investidores desses mercados, que buscam formar portfólios resilientes e robustos. “Em um momento de maior volatilidade do mercado, causada em grande parte pela pandemia do coronavírus, os investidores devem permanecer focados em atingir seus objetivos estratégicos, incluindo a revisão de sua tolerância a riscos, orçamento de liquidez e estratégia de diversificação para garantir que seus objetivos sejam alcançados”, afirma João Morais, líder de Wealth da Mercer Brasil.

 

 

Brasil

 

De acordo com o estudo da Mercer, nos países da América Latina as alocações em renda fixa são relativamente altas, com destaque para Brasil (73%), México (70%) e Argentina (65%), principalmente devido aos bons retornos alcançados pelos ativos de renda fixa até recentemente. “No caso do Brasil, as altas taxas de juros estimularam o investimento no mercado local, concentrado em renda fixa. Entretanto, com a queda das taxas de juros no país, a expectativa é que haja uma maior diversificação dos investimentos pois é necessário obter retornos consistentes com os objetivos de longo prazo destes investidores”, explica Morais.

 

No outro extremo do espectro, Peru e Colômbia mantiveram as maiores alocações em ações, 48% e 36%, respectivamente. Para investimentos alternativos, como fundos de hedge, imóveis e private equity, Colômbia, Peru e Brasil registraram as maiores alocações da região, representando nove, sete e cinco por cento, respectivamente.

 

A pesquisa também observou uma grande variação nos investimentos dos países latino-americanos em ativos estrangeiros. O Brasil e a Argentina têm uma exposição muito baixa a ativos no exterior, enquanto Peru (73% da carteira de ações), Chile (69%) e México (58%) possuem alocações mais consideráveis. A Colômbia apresentou o maior aumento de participação acionária estrangeira no período, passando de 48% para 54% da carteira de ações.

 

“No caso do Brasil, a diversificação internacional em títulos e ações tem muito espaço para crescer, proporcionando o acesso a mercados com ciclos econômicos e características bem diversas que, em tempos de crise, são bem menos impactados. Além disso, nos anos de recuperação, as bolsas internacionais mostraram resultados mais consistentes”, complementa Morais.

 

 

 

Sobre a Mercer

A Mercer oferece aconselhamento e soluções orientadas à tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de carreira, previdência, investimentos e saúde de uma força de trabalho em constante mudança. São mais de 25.000 funcionários localizados em 44 países e com atuação em mais de 130. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com mais de 76 mil colegas e receita anual de mais de US$ 17 bilhões, a Marsh & McLennan apoia seus clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo.

 

Visite: www.mercer.com.br

 

 

 

 

 

Contato