Ranking de Qualidade de Vida 2018

Ranking de Qualidade de Vida 2018

Viena ocupa o primeiro lugar no 20º ranking de Qualidade de Vida da Mercer

  • 20 de março de 2018
  • Brasil, São Paulo
  • Viena ocupa o primeiro lugar em qualidade de vida pelo 9º ano consecutivo
  • Edição de 20º aniversário: as cidades emergentes aumentam o padrão de vida para atrair o talento móvel
  • Honolulu ocupa o primeiro lugar em saneamento, um fator importante na atratividade das cidades

Apesar da volatilidade econômica na Europa devido à incerteza em torno da Brexit, bem como ao aumento da volatilidade política na região em geral, muitas de suas cidades ainda oferecem a maior qualidade de vida do mundo e continuam a ser destinos atraentes para expatriados, de acordo com a 20ª pesquisa anual de Qualidade de Vida da Mercer. As cidades em mercados emergentes, embora desafiadas pela turbulência econômica e política, estão alcançando as cidades que ocupam as primeiras posições no ranking após décadas de investimento em infraestrutura, instalações recreativas e moradia para atrair talentos e empresas multinacionais.

Viena está no topo do ranking pelo 9º ano consecutivo e é seguida por Zurique (2), Auckland e Munique, juntas em 3º lugar. Na 5ª posição, Vancouver completa as cinco melhores colocadas e é a cidade mais alta no ranking da América do Norte. Cingapura (25) e Motevidéu (77) são as cidades mais altas no ranking da Ásia e América Latina, respectivamente.

"Com o aumento da globalização e a mudança demográfica da força de trabalho - atrair e reter o talento certo é um dos principais desafios para as empresas nos próximos cinco anos", disse Ilya Bonic, Senior Partner e Presidente da área de Career da Mercer. "Uma força de trabalho cada vez mais diversificada é mais móvel e digital com requisitos e aspirações altamente divergentes em termos de carreira, estilo de vida e, finalmente, onde e como querem trabalhar. As empresas precisam considerar esses fatores em sua proposta de valor para seus empregados locais e expatriados.”

A pesquisa da Mercer é uma das mais abrangentes do mundo e é conduzida anualmente para auxiliar empresas multinacionais e outras organizações a remunerar de maneira justa seus empregados enviados em transferências internacionais. Além das informações valiosas sobre qualidade de vida relativa, as pesquisas da Mercer fornecem recomendações de hardship para mais de 450 cidades em todo o mundo; o ranking deste ano inclui 231 dessas cidades.

Este ano, a Mercer fornece uma classificação separada sobre Saneamento da Cidade, que analisa a remoção de resíduos e infraestrutura de esgoto, níveis de doenças infecciosas, poluição do ar, disponibilidade e qualidade da água – todos aspectos importantes de atratividade de uma cidade tanto para o talento como para as empresas. Honolulu ocupa o primeiro lugar em Saneamento, seguida por Helsinque e Ottawa, juntas em segundo lugar, enquanto Dhaka (230) e Porto Príncipe (231) preenchem os últimos lugares.

Os fatores de maior criticidade para o posicionamento do Brasil no ranking estão atrelados ao ambiente político, social e econômico, além das opções de educação adequadas aos filhos de um expatriado que venha se instalar no Brasil.

Apesar das mínimas diferenças de pontuação das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Manaus, Brasília se destaca por oferecer condições favoráveis à maior qualidade de vida entre as quatro localidades.

O estudo nos permitiu colher evidências de um desequilíbrio de qualidade de vida que poderá ser encontrado por um pessoa transferida internacionalmente de Nova Iorque para Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo ou Manaus.

“As empresas que enviam expatriados precisam ter uma imagem completa das condições no local, a fim de compensar adequadamente seus empregados por qualquer redução nos padrões de vida”, comentou Indre Medeiros, Mobility Practice Leader na Mercer Brasil.

Europa

Viena permanece como a cidade mais alta no ranking da Europa e, globalmente, fornecendo aos residentes e expatriados transporte público de alta segurança, bem estruturado e uma variedade de instalações culturais e de recreação. Munique, na Alemanha, pulou para a 3ª posição, uma vez que a cidade realizou um grande esforço para atrair talentos e empresas, investindo continuamente em infraestrutura de alta tecnologia e promovendo suas instalações culturais. Como resultado do ataque terrorista em Estocolmo (23), a cidade cai três posições, enquanto Oslo (25) e Lisboa (38) aumentam a classificação em seis e cinco lugares, respectivamente. Londres permanece mais abaixo na lista devido às suas questões persistentes com o congestionamento do tráfego e a poluição do ar, cai um lugar e fica na 41ª posição.

A classificação de Saneamente da Cidade vê várias cidades nórdicas classificadas entre as 10 melhores globalmente, com Helsinque em segundo lugar e Copenhague, Oslo e Estocolmo, todas empatadas na 8ª posição.

Américas

Na América do Norte, as cidades canadenses são as mais elevadas no ranking em termos de qualidade de vida com Vancouver (5), assumindo novamente o primeiro lugar regional. São Francisco (30) é a cidade melhor classifica dos EUA, seguida por Boston (35), Honolulu (36), Seattle (44) e Nova York (45). O aumento das taxas de criminalidade faz com que Los Angeles (64) caia seis lugares. Caindo dois lugares, Monterrey (112) é a cidade melhor classificada do México, enquanto sua capital, a Cidade do México, cai para o 129º lugar.

Na América do Sul, Montevidéu (77) é a melhor classificada em qualidade de vida, seguida por Buenos Aires (91) e Santiago (92). Caracas (193) e Porto Príncipe (228) são as cidades que ocupam os lugares mais baixos na classificação da região. Caindo 21 lugares, a cidade de San Juan (96) vê a maior queda no ranking global.

Na classificação de Saneamento da Cidade, Honolulu (1) é a melhor classificada na região e globalmente, seguida por Ottawa, Canadá (2). Montevidéu, Uruguai (71) é a cidade melhor colocada da América do Sul.

Oriente Médio e África

Dubai (74) permanece com a melhor classificação para qualidade de vida em todo o Oriente Médio, seguida de perto por Abu Dhabi (77), que subiu duas posições. Damascus (225), Sana’a (229) e Bagdá (231) são as cidades da região com a pior classificação para qualidade de vida. Ambas na 65ª posição, Abu Dhabi e Dubai encabeçam a lista regional para Saneamento da Cidade. Apenas outras quatro cidades na região estão entre as100 primeiras, incluindo Muscat (70), Tel Aviv (87), Manama (93) e a Cidade do Kuwait (99).

Port Louis (83) é a cidade africana com a melhor qualidade de vida, seguida por Durban (89), Cidade do Cabo (94) e Joanesburgo (95). N'Djamena (226), Khartoum (227) e Bangui (230) permanecem com as piores classificações na região. Instabilidade política persistente, pobreza, climas extremos e falta de investimentos adequados em infra-estrutura significam que essas cidades têm a menor qualidade de vida em todo o mundo.

Victoria (58) é a melhor classificada do continente para Saneamento da Cidade, seguida por Durban (73) e Port Louis (80), enquanto Brazzaville (225) e Antananarivo (226) ocupam as posições mais baixas.

Ásia-Pacífico
Ilustrando a grande disparidade das regiões em qualidade de vida, Cingapura permanece como a cidade com a melhor classificação, ocupando o 25º lugar, enquanto Dhaka classifica-se no 216º. No Sudeste Asiático, Kuala Lumpur (85) segue Cingapura; outras cidades importantes incluem Bangkok (132), Manila (137) e Jacarta (142). Cinco cidades japonesas ocupam as primeiras posições na classificação para a Ásia Oriental: Tóquio (50), Kobe (50), Yokohama (55), Osaka (59) e Nagoya (64). Outras cidades notáveis na Ásia incluem Hong Kong (71), Seul (79), Taipei (84), Xangai (103) e Pequim (119). A classificação de Saneamento da Cidade também varia consideravelmente em toda a região, com Kobe (8) sendo a melhor e Dhaka (230) a pior.

A Nova Zelândia e a Austrália continuam a se classificar bem em qualidade de vida: Auckland (3), Sydney (10), Wellington (15) e Melbourne (16) todas permanecem entre as 20 melhores. As cidades da região também se classificam bem para Saneamento da Cidade, com Auckland em 5º lugar globalmente e Adelaide em 7º.

 


Notas aos Editores

A Mercer produz anualmente os rankings mundiais de qualidade de vida a partir de sua Pesquisa de Qualidade de Vida Mundial. Relatórios individuais são produzidos para cada cidade pesquisada. Índices comparativos de qualidade de vida entre uma cidade base e uma de destino estão disponíveis, assim como comparações entre múltiplas cidades. Os detalhes estão disponíveis em www.mercer.com/qualityofliving.

Os dados foram amplamente analisados entre setembro e novembro de 2017 e serão atualizados regularmente para levar em conta a evolução das circunstâncias. Em particular, as avaliações serão revisadas para refletir os desenvolvimentos políticos, econômicos e ambientais significativos. A lista dos rankings é fornecida à mídia para referência e não deve ser publicada na íntegra. As 10 melhores e as 10 piores cidades de cada lista podem ser reproduzidas em uma tabela.

As informações e dados obtidos através dos relatórios de Qualidade de Vida são apenas para fins informativos e destinados ao uso por organizações multinacionais, agências governamentais e municípios. Não são projetados ou destinados para o uso como base para investimento estrangeiro ou turismo. Em nenhum caso a Mercer será responsável por qualquer decisão ou ação tomada com base nos resultados obtidos através do uso, ou a informação ou dados contidos nos relatórios. Enquanto os relatórios foram elaborados com base em fontes, informações e sistemas que acreditamos ser confiáveis e precisos, eles são fornecidos "tal como estão", e a Mercer não aceita nenhuma responsabilidade referente à validade/precisão (ou não) das fontes/dados usados para compilar os relatórios. A Mercer e suas afiliadas não fazem representações ou garantias com relação aos relatórios, e negam todas as garantias expressas, implícitas e estatutárias de qualquer tipo, incluindo representações e garantias implícitas de qualidade, precisão, pontualidade, integralidade, comercialização e adequação para uma determinada finalidade.

 

Qualidade de Vida – Avaliação da Cidade: Dedicada às cidades

A Mercer também ajuda os municípios a avaliar fatores que podem melhorar seus rankings de qualidade de vida. Em um ambiente global, os empregadores têm muitas opções sobre onde colocar seus empregados móveis e criar novos negócios. A qualidade de vida de uma cidade pode ser uma variável importante a ser considerada pelos empregadores.

Líderes em muitas cidades querem entender os fatores específicos que afetam a qualidade de vida dos moradores e abordam as questões que reduzem a classificação geral de qualidade de vida de uma cidade. A Mercer aconselha municípios utilizando uma abordagem holística que aborda os objetivos de progredir em direção à excelência e atrair empresas multinacionais e talentos móveis globalmente, melhorando os elementos que são mensurados em sua pesquisa de Qualidade de Vida.

 

Recomendações da Mercer sobre Subsídios de Hardship

A Mercer avalia as condições de vida local em mais de 450 cidades pesquisadas em todo o mundo. As condições de vida são analisadas de acordo com 39 fatores, agrupados em 10 categorias:

  • Ambiente político e social (estabilidade política, crime, cumprimento de leis, etc)
  • Ambiente econômico (regulamentações sobre taxa de câmbio, serviços bancários).
  • Ambiente sociocultural (disponibilidade de mídia e censura, limitações para liberdade pessoal).
  • Considerações médicas e de saúde (suprimentos e serviços médicos, doenças infecciosas, saneamento, descarte de resíduos, poluição do ar, etc).
  • Escolas e educação (padrão e disponibilidade de escolas internacionais).
  • Serviços e transporte público (eletricidade, água, transporte público, congestionamento de trânsito, etc).
  • Recreação (restaurantes, teatros, cinemas, esportes e lazer, etc).
  • Bens de consumo (disponibilidade de alimentos/artigos de consumo diário, carros, etc).
  • Moradia (aluguel de imóvel, eletrodomésticos, móveis, serviços de manutenção).
  • Ambiente natural (clima, registro de desastres naturais).

Os pontos atribuídos a cada um dos fatores, que são ponderados para refletir sua importância para os expatriados, permitem comparações objetivas de cidade a cidade. O resultado é um Índice de Qualidade de Vida que compara diferenças relativas entre dois locais avaliados. Para que os índices sejam utilizados de maneira eficaz, a Mercer criou uma grade que permite aos usuários vincularem o índice resultante a um valor de auxílio para qualidade de vida, através da recomendação de um valor percentual em relação ao índice.

 

Sobre a Mercer

A Mercer oferece conselhos e soluções orientadas pela tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de saúde, patrimônio e carreira de uma força de trabalho em mudança. Os mais de 22.000 empregados da Mercer estão baseados em 44 países e a empresa atua em mais de 130 países. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com cerca de 65 mil colegas e receita anual de mais de US$ 14 bilhões, através de suas empresas líderes do mercado, incluindo Marsh, Guy Carpenter e Oliver Wyman, a Marsh & McLennan ajuda os clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo. Para mais informações, visite www.mercer.com. Siga a Mercer no Twitter @Mercer. No Reino Unido, a Mercer Limited é autorizada e regulada pela Autoridade de Conduta Financeira.

 

INFORMAÇÕES PARA CONTATO