Estudo da Mercer revela que portfólios de investidores avessos à diversificação no Exterior apresentam maior risco e menor eficiência

Fenômeno “home bias” é significativo nos mercados em crescimento e muito preponderante no Brasil, aponta consultoria

 

São Paulo, setembro de 2020

O estudo “Preso em Casa: Home Bias em Portifólios”, que analisa a propensão de pessoas ou instituições investirem em ativos domésticos em detrimento dos externos, revela que a tendência é prevalente em todo o mundo, e mais forte ainda em mercados em crescimento, como o brasileiro.

O paper que acaba de ser divulgado pela Mercer, líder global de consultoria em carreira, saúde, previdência e investimentos, constata que, embora o home bias resulte em concentrações de risco abaixo do ideal, reduzindo a eficiência dos portfólios e tornando-os vulneráveis a uma variedade de riscos de curto prazo, o fenômeno ainda é preponderante por uma série de razões, como a incidência de impostos, a volatilidade cambial, barreiras regulatórias e custos de transação.

“É importante reconhecer que as regulamentações governamentais geralmente limitam o nível permitido de exposição internacional - mas, em nossa experiência, de modo geral os investidores subutilizam a permissão de exposição internacional dessas normas”, afirma Mauricio Martinelli, líder de Investimentos da Mercer Brasil.

Hora de sair de casa

De acordo com o estudo, ao se concentrarem demais no mercado doméstico, os investidores negligenciam todo o espectro de oportunidades, como investimentos em empresas de tecnologia inovadoras e disruptivas e setores econômicos para os quais não há como ter exposição no mercado doméstico. “Os universos de investimento doméstico geralmente oferecem participações muito limitadas no crescimento econômico e corporativo global”, contextualiza Martinelli.

Outra limitação comum do home bias é a variedade, a qualidade e a profundidade das estratégias e dos produtos de investimento oferecidos. O significado disso pode ser ainda mais problemático em países com pequenos mercados de capitais e setores financeiros em desenvolvimento. As ofertas domésticas podem limitar-se a simples mandatos de títulos e ações domésticas, gerenciados por um pequeno número de gestores com abordagens sem diferenciação.

“Ao se limitarem a estratégias e produtos dominados pela exposição doméstica, os investidores renunciam a uma ampla gama de oportunidades fora do mercado local - restringindo a eficiência da construção de portfólio e da gestão de riscos - com custos de oportunidade particularmente altos em mercados nacionais pequenos ou restritos”, complementa o consultor.

“Temos estimulado nossos clientes a revisar suas alocações estratégicas e a reavaliar a lógica do investimento direcionado ao home bias em diferentes classes de ativos. O lar é onde está o coração, mas às vezes os investidores devem sair de casa para obter os melhores resultados de investimento”, conclui Martinelli.

Gráfico ilustrativo

Sobrealocação dos fundos de pensão no mercado de ações local em relação ao peso do mercado nacional no índice de ações globais


 

Fonte: MSCI, Mercer. Cálculo dos sobrealocação do mercado interno versus pesos do mercado no MSCI AC World IMI em 31 de dezembro de 2019. Exposição do mercado de ações locais (como um percentual da alocação total de renda variável) com base nos dados agregados disponíveis dos ativos dos fundos de pensão para cada mercado. Sobrepeso no Japão com base nos dados do plano de benefício definido no relatório Asset Allocation Insights da Mercer. Dados do Brasil com base nas estimativas da Mercer.
 

Sobre a Mercer

A Mercer oferece aconselhamento e soluções orientadas à tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de carreira, previdência, investimentos e saúde de uma força de trabalho em constante mudança. São mais de 25.000 funcionários localizados em 44 países e com atuação em mais de 130. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com mais de 76 mil colegas e receita anual de mais de US$ 17 bilhões, a Marsh & McLennan apoia seus clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo.

Visite: www.mercer.com.br