Estudo Global de Tendências de Talentos 2019

Estudo Global de Tendências de Talentos 2019

Estudo Global de Tendências de Talentos 2019

  • Fevereiro de 2019
  • Latin America, Brasil

Com expectativa de maior disrupção, nova prioridade é tornar as companhias adaptadas para o futuro, aponta estudo da Mercer

Estudo Global de Tendências de Talentos 2019 revela que 88% dos executivos do Brasil prevêem alguma disrupção significativa na companhia nos próximos três anos

São Paulo, fevereiro de 2019 – De acordo com o Estudo Global de Tendências de Talentos 2019 da Mercer, 88% dos executivos do Brasil acreditam que sua empresa terá alguma disrupção significativa nos próximos três anos. No ano passado, esse percentual era de 44%. No processo de ajustar as empresas para o futuro, os riscos de capital humano – incluindo as lacunas de habilidade e o cansaço dos funcionários em relação às mudanças – podem impedir o progresso da tranformação.

“Nos últimos anos, as organizações passaram da antecipação para a ação na preparação para o futuro do trabalho. Mas elas correm o risco de confundir as pessoas com muitas mudanças, ignorando os valores que os indivíduos admiram e inundando-os com processos intermináveis”, explica Ilya Bonic, líder global de carreira da Mercer.

Diante do atual clima de incerteza, a busca dos trabalhadores é por estabilidade. O estudo da Mercer mostra que carreiras com potencial de longo prazo e segurança no emprego são duas das principais razões pelas quais os funcionários brasileiros ingressam em suas empresas e dois dos três motivos principais pelas quais eles permanecem. No entanto, um em cada três funcionários teme que a intelegência artificial e a automação substituam seu trabalho. A solução para ajudar os funcionários a se sentirem seguros é fomentar conexões humanas. Funcionários prósperos (aqueles que prosperam nas áreas de saúde, segurança financeira e carreira) têm duas vezes mais probabilidade de descrever seu ambiente de trabalho como “colaborativo”.

“Futuro do trabalho está relacionado à conectividade, criando um ambiente atraente para a força de trabalho atual com a construção de um senso coerente de identidade, estimulando conexões e usando dados para personalizar a experiência", afirma Alfredo Soares, consultor sênior da Mercer Brasil.

O Estudo Global de Tendências de Talentos 2019 identificou as quatro principais tendências que as companhias líderes estão seguindo: alinhar o trabalho com os valores do futuro, construir a ressonância da marca, fazer a curadoria da experiência de trabalho e entregar a mudança liderada por talentos.

Alinhar o trabalho com os valores do futuro

Inteligência artificial e automação continuam a transformar o cenário competitivo – 72% das empresas no Brasil planejam realizar mais automação de atividades nos próximos 12 meses. Ao mesmo tempo, os executivos (C-Level) consideram o investimento no “redesenho do trabalho” com o mais alto potencial de retorno sobre o investimento e 65% dos funcionários preferem responsabilidades mais bem definidas. O desafio para o RH é construir uma estratégia de pessoas integrada (abordagem três vezes mais implantada por empresas de alto crescimento) e alavancar as informações sobre seus talentos (analytics e assessments) para informar decisões sobre o futuro tamanho e formato da organização – mas apenas uma em cada quatro empresas tem bons insights sobre o impacto que suas estratégias de compra, construção, empréstimo e automação têm no negócio. “A chave é alinhar empregos e pessoas de acordo com esses valores, e gerar um mecanismo para recompensar habilidades e comportamentos do futuro”, diz Soares.                                                                                                                                               

Construindo ressonância de marca

O que importa para funcionários e para quem está à procura de um emprego é a forma como a empresa conduz os negócios e defende os valores de sua marca. Em um mundo social e transparente, as linhas entre a marca de consumo e a proposta de valor para talentos (TVP – Talent Value Proposition) estão se confundindo. Empresas bem-sucedidas garantem que sua marca ressoe em todos os segmentos da força de trabalho – 74% das organizações de alto crescimento diferenciam sua TVP para diferentes grupos em comparação a 45% das empresas de crescimento modesto. A filosofia de recompensas totais de uma organização é uma área onde os valores da marca podem brilhar: funcionários prósperos estão duas vezes mais propensos a trabalhar em uma companhia que garante equidade nas decisões de pagamento e promoção.

Criando uma experiência de trabalho

Uma experiência de trabalho efetiva e relevante no dia-a-dia é essencial para reter os melhores talentos. De acordo com o estudo de Mercer, os funcionários prósperos no Brasil são duas vezes mais propensos a trabalhar para uma organização que permite tomadas de decisão rápida e fornece ferramentas e recursos para que eles façam seu trabalho com eficiência. Planos de desenvolvimento profissional personalizados e simplificados são uma questão para os funcionários – quase dois terços (65%) desejam uma aprendizagem criada para ajudá-los a desenvolver suas habilidades e prepará-los para trabalhos futuros. A tecnologia desempenha um papel crítico – empresas de alto crescimento têm duas vezes mais probabilidade que empresas de crescimento moderado de fornecer uma experiência totalmente digital aos funcionários.

Entregando a mudança liderada por talentos

Para garantir que o talento esteja no centro da mudança, o RH deve ter voz na transformação dos negócios. O estudo deste ano revelou que 65% dos líderes de RH no Brasil estão envolvidos no planejamento do lançamento de grandes projetos de mudança. Por outro lado, apenas 35% estão envolvidos na execução desses planos, e somente um em cada cinco líderes de RH participou da etapa de geração de ideias de iniciativas de transformação (a menor entre os países que participaram da pesquisa). O RH vê o ânimo dos funcionários como uma barreira significativa a adesão às mudanças: “atrito de funcionários” e “declínio na confiança dos funcionários” são dois dos cinco principais desafios deste ano. "Esse resultado aponta a necessidade de esforços de transformação concentrados em  e nas melhores métricas de talentos para entender como as pessoas estão experimentando e adotando a mudança", diz Bonic.

O Estudo Global de Tendências de Talentos 2019 da Mercer foi realizado a partir de pesquisas com mais de 7.300 executivos sênior de negócios, líderes de RH e funcionários de nove setores-chave e 16 regiões geográficas.

Sobre a Mercer

A Mercer oferece conselhos e soluções orientadas pela tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de saúde, previdência e carreira de uma força de trabalho em mudança. Os mais de 23.000 empregados da Mercer estão baseados em 44 países e a empresa atua em mais de 130 países. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com cerca de 65 mil colegas e receita anual de mais de US$ 14 bilhões, através de suas empresas líderes do mercado, incluindo Marsh, Guy Carpenter e Oliver Wyman, a Marsh & McLennan ajuda os clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo. Para mais informações, visite www.mercer.com.

INFORMAÇÕES PARA CONTATO