Estudo Global de Tendências de Talentos 2018

Estudo Global de Tendências de Talentos 2018

Estudo Global de Tendências de Talentos da Mercer para 2018

  • 17 de abril de 2018
  • Brasil, São Paulo

À medida que a Inteligência Artificial (IA) molda o Futuro do Trabalho, os empregadores concentram-se nas habilidades humanas e os funcionários anseiam por empregos com propósito

O novo Estudo Global de Tendências de Talentos (Global Talent Trends Study) da Mercer identifica as cinco principais tendências da força de trabalho para 2018

Depois de anos falando sobre disripção, os executivos estão determinados a transformar as conversas em ações. De acordo com o 2018 Global Talent Trends Study – Unlocking Growth in the Human Age (Estudo Global de Tendências de Talentos de 2018 da Mercer - Liberando o Crescimento na Era Humana), 94% das empresas têm inovação em sua agenda principal este ano e 96% estão planejando mudanças no desenho da organização. Ao mesmo tempo, os empregados estão buscando o controle de suas vidas pessoais e profissionais, com mais da metade solicitando opções de trabalho mais flexíveis. À medida que a capacidade de mudar se torna um diferencial importante para o sucesso em um clima global competitivo, o desafio para as organizações é fazer com que as pessoas caminhem juntas nessa jornada, especialmente quando o principal pedido dos funcionários é por líderes que estabeleçam uma direção clara.

“Este ano, vimos um entusiasmo concreto dos executivos em “dar o salto” para o novo mundo do trabalho. Eles estão perseguindo uma agenda de evolução contínua – ao invés de transformações esporádicas - para permanecerem competitivos ”, disse Ilya Bonic, Presidente da área de Carreira (Career) da Mercer. "Eles reconhecem que é a combinação de habilidades humanas e tecnologia digital avançada que impulsionará seus negócios".

Em busca de novas tecnologias, os executivos devem se concentrar no “sistema operacional humano” para fortalecer sua organização. O estudo da Mercer identificou cinco tendências da força de trabalho para 2018: Change @ Speed (Mudança com Rapidez), Trabalhar com Propósito, Flexibilidade Permanente, Plataforma para Talento e Digital de Dentro para Fora.

Change @ Speed: Como as empresas se preparam para o futuro do trabalho depende do grau de disrupção prevista. Aquelas que esperam o máximo de disrupção estão trabalhando a agilidade em seu modelo e fazendo apostas em estruturas mais planas, estruturadas em rede (36% estão formando equipes de trabalho mais holacráticas em comparação com 22% do ano passado). Colocar o poder nas mãos dos indivíduos torna crítico construir a capacidade e a prontidão cedo. No entanto, os líderes de RH se sentem menos preparados para requalificar funcionários existentes (57% estão confiantes de que podem fazer isso bem) do que contratar de fora (71%). Como mais da metade dos executivos brasileiros prevê que pelo menos um em cada cinco cargos em sua organização deixará de existir nos próximos cinco anos, estar preparado para o deslocamento profissional e requalificação é fundamental para a sobrevivência organizacional. No entanto, apenas 38% das empresas estão aumentando o acesso a cursos de aprendizado online e ainda menos estão ativamente realizando rotação de talentos dentro da empresa.

Trabalhar com Propósito: Três quartos (75%) dos funcionários prósperos, aqueles que se sentem realizados pessoal e profissionalmente, dizem que sua empresa tem um forte senso de propósito. Para encontrar um propósito, os empregados anseiam por movimento, aprendizado e experimentação. Se não obtiverem, procurarão em outro lugar - 35% dos funcionários satisfeitos em seu trabalho atual ainda planejam sair devido a uma percepção de falta de oportunidade de carreira. Além do propósito, a nova proposta de valor inclui saúde e bem-estar financeiro. Os funcionários gastam em média 10 horas de trabalho por semana se preocupando com questões financeiras, mas apenas 30% das empresas têm políticas paraendereçar o bem-estar financeira. A imparcialidade nas recompensas e as práticas de sucessão também são uma prioridade - apenas 60% dos funcionários dizem que sua empresa garante equidade nas decisões de pagamento e promoção. "As organizações que ajudam os empregados a se preocuparem menos com as necessidades básicas de segurança e investirem mais energia em suas aspirações de carreira serão recompensadas com uma força de trabalho que tem mais orgulho, paixão e propósito", disse Bonic.

Flexibilidade Permanente: Os indivíduos expressam suas expectativas na programação de trabalho que os coloquem no controle de suas vidas pessoais e profissionais. Os funcionários querem opções de trabalho mais flexíveis e as organizações estão ouvindo - 80% dos executivos vêem o trabalho flexível como parte essencial de sua proposta de valor (contra 49% no ano passado). Apenas 5% dos executivos se consideram líderes do setor quando se trata de permitir a flexibilidade e 39% dos funcionários temem que a escolha por trabalho flexíveis tenha impacto sobre suas perspectivas de promoção. "A falta de programação de trabalho flexível prejudica as mulheres e os trabalhadores mais velhos de forma desproporcional, levando a absenteísmo, níveis mais baixos de energia e esgotamento", disse Bonic. “À medida que o gap de habilidades aumenta e as competências humanas se tornam mais importantes, garantir que um grupo diversificado de talentos possa participar da força de trabalho em todas as etapas da vida é um imperativo comercial e social”.

Plataforma para Talento: Dado que 94% dos executivos brasileiros esperam um aumento na competição por talentos, as organizações percebem que precisam expandir seu ecossistema de talentos e atualizar seus modelos de RH para a era digital. A hora é agora - duas em cada cinco empresas planejam “emprestar” mais talentos em 2018 e 91% dos funcionários considerariam trabalhar como freelancer. “Obter maior acesso ao talento por meio de um ecossistema mais amplo é parte da solução. As empresas também precisam movimentar talentos com mais rapidez e precisão para liberar o potencial de sua força de trabalho ”, disse Kate Bravery, Líder Global da área de Career da Mercer. “Adotar uma mentalidade de plataforma para talento requer uma mudança radical de mentalidade, adotando a noção de que o talento pode ser acessado para benefício de todos, ao invés de 'pertencer' a um gerente, departamento, função ou mesmo organização.” Os executivos concordam, reportando que melhorar a capacidade de transferir funcionários para pessoas e pessoas para funcionários é o investimento em talentos que teria o maior impacto no desempenho dos negócios este ano.

Digital de dentro para fora: Apesar da melhoria em relação ao ano passado, as empresas não oferecem uma experiência de consumo - apenas 18% se consideram uma organização digital hoje. Enquanto 81% dos funcionários dizem que as ferramentas de última geração são importantes para o sucesso, 59% diz ter as ferramentas digitais necessárias para fazer seu trabalho e apenas 50% têm interações digitais com o RH. Os líderes de negócios estão confiantes na capacidade do RH de ser um parceiro estratégico na definição do rumo para o futuro, com 88% dos executivos reportando que o RH alinha a estratégia de pessoas às prioridades estratégicas do negócio. “Em tempos turbulentos, há uma tendência para segurar as pilares. Intuitivamente, sabemos que o sucesso envolve surfar na crista da mudança e isso requer um apetite de risco saudável e uma disposição para quebrar e refazer os modelos de talentos ”, disse Bravery. "Quando estivermos vivendo digitalmente, trabalhando com flexibilidade e sendo recompensados de forma única, vamos liberar o crescimento na Era Humana".

O estudo da Mercer compartilha ideias de mais de 7.600 executivos de negócios, líderes de RH e empregados de 21 setores e 44 países em todo o mundo. O relatório avalia os novos direcionadores do futuro do trabalho, identifica desconexões críticas em relação à mudança e faz recomendações poderosas para capturar o crescimento em 2018.

Para obter mais informações ou solicitar o Estudo Global de Tendências de Talentos de 2018 completo, visite http://www.mercer.com/global-talent-trends.

 

Sobre a Mercer

A Mercer oferece conselhos e soluções orientadas pela tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de saúde, patrimônio e carreira de uma força de trabalho em mudança. Os mais de 22.000 empregados da Mercer estão baseados em 44 países e a empresa atua em mais de 130 países. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com cerca de 65 mil colegas e receita anual de mais de US$ 14 bilhões, a Marsh & McLennan Companies ajuda os clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo. A Marsh & Mc Lennan Companies também é a empresa controladora da Marsh, que presta consultoria a clientes individuais e comerciais de todos os portes sobre corretagem de seguros e soluções inovadoras de gerenciamento de risco; Guy Carpenter, que desenvolve estratégias avançadas de risco, resseguro e capital que ajudam os clientes a crescer de maneira lucrativa e a buscar oportunidades emergentes; e Oliver Wyman, que atua como uma consultoria estratégica, econômica e de marca para clientes do setor privado e do governo. Para mais informações, visite www.mercer.com.  Siga a Mercer no Twitter @Mercer.

 

INFORMAÇÕES PARA CONTATO