ESTUDO DA MERCER REVELA TENDÊNCIAS DE ALOCAÇÃO DOS PLANOS DE PREVIDÊNCIA NOS MERCADOS EM CRESCIMENTO

June 11, 2019

São Paulo, Brasil


A pesquisa realizada com fundos de pensão que somam cerca de US$ 5 trilhões em ativos sob gestão mostra aumento de quase 8% da exposição em ações


A Mercer, consultoria global líder na promoção de saúde, patrimônio e carreira, lança a primeira edição da pesquisa Tendências de Alocação para Mercados em Crescimento, com informações sobre a alocação de ativos e tendências de investimento que afetam ativos de fundos de pensão totalizando cerca de US$ 5 trilhões na América Latina, Oriente Médio, África e Ásia. O estudo foi realizado com investidores e entidades setoriais em mais de 14 países com dados sobre os ultimos 5 anos.


O relatório observou uma variação significativa na alocação de ativos entre os países. A diferença é impulsionada por fatores regulatórios, bem como pelas condições de mercado (juros e crescimento). De modo geral, 46% das alocações são para renda fixa, 40% para ações, 4% para alternativos e 10% para caixa/outras.


A exposição em ações tem aumentado. O estudo aponta uma alocação crescendo de um patamar geral de 32% para 40%, em detrimento da renda fixa. Esse resultado é reflexo das taxas de juros mais baixas na maior parte dos países, exigindo portfólios mais diversificados, por meio do aumento da exposição a risco, incluindo diversificação internacional.


A exposição estrangeira média aumentou de 45% para 49% em ações, com movimentos mais fortes em renda fixa, onde a exposição internacional passou de 16% para 23%, impulsionada por regulamentações mais flexíveis em alguns países. Os ativos domésticos seguem sendo mais significativos, mas a expectativa é que novas mudanças regulatórias aconteçam, apoiando m​​um investimento global mais amplo.


“Um dos principais desafios dos investidores em alguns dos mercados em crescimento são as restrições regulatórias para compra de ativos estrangeiros. Além disso, a percepção de riscos em relação aos ativos estrangeiros é muito difusa, o que gera maior resistência a esse tipo de alocação”, afirma Wagner Kladt, consultor sênior de investimento da Mercer Brasil.


As reformas nos modelos de previdência estudadas por alguns países, como é o caso do Brasil, reforça ainda mais a necessidade de fornecer soluções de investimento mais diversas e rentáveis para atender às necessidades futuras da sociedade nessas regiões.


Brasil


Nos países da América Latina, por exemplo, as alocações em renda fixa são relativamente altas, com destaque para Brasil (73%), Argentina (65%) e México (64%). “No caso do Brasil, a limitação de alocação em ativos estrangeiros e as altas taxas de juros, estimulam o investimento no mercado local, concentrados em renda fixa. Com a queda das taxas de juros no país e a necessidade de maior diversificação para obter retornos mais consistentes, a expectativa é que haja uma mudança de cenário”, explica Kladt.


As maiores alocações em ações foram verificadas no Peru e na Colômbia com, respectivamente, 51% e 39%. Já Argentina e México foram os países da região com maior alocação em investimentos alternativos, como fundos de hedge, imóveis e private equity.


O estudo da Mercer verificou que existe uma grande variação entre os investimentos dos países latino-americanos em ativos estrangeiros. A Argentina e o Brasil têm exposição externa incipiente, enquanto Peru, Chile, Colômbia e México detêm alocações mais consideráveis. Na Colômbia, por exemplo, 55% da carteira de ações é internacional. “Nesses países, a alocação em ativos estrangeiros é imperativa, já que os mercados locais de ações são relativamente pequenos. Esse mesmo comportamento deverá ser visto no Brasil, quando as alocações em renda variável aumentarem”, avalia Kladt.


Sobre a Mercer


A Mercer oferece conselhos e soluções orientadas pela tecnologia que ajudam as organizações a atender às necessidades de saúde, previdência e carreira de uma força de trabalho em mudança. Os mais de 23.000 empregados da Mercer estão baseados em 44 países e a empresa atua em mais de 130 países. A Mercer é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC), a principal empresa global de serviços profissionais nas áreas de risco, estratégia e pessoas. Com cerca de 65 mil colegas e receita anual de mais de US$ 14 bilhões, através de suas empresas líderes do mercado, incluindo Marsh, Guy Carpenter e Oliver Wyman, a Marsh & McLennan ajuda os clientes a navegar em um ambiente cada vez mais dinâmico e complexo. Para mais informações, visite www.mercer.com.


CONTACT INFORMATION